• 10% na 1º compra com o cupom 4UDEZ

  • PArcele em até 3x sem juros

O seu carrinho está vazio

Continuar Comprando

"Life is too short for bad wine." Johann Wolfgang von Goethe

4U. wine - vinhos diferentes para surpreender você

Dirceu Vianna Jr., o único Master of Wine brasileiro e especialistas convidados como a Master of Wine inglesa Susie Barrie, degustam às cegas e selecionam somente o que merece chegar à sua taça. Não representamos marcas nem produtores para ter a liberdade de selecionar somente safras e rótulos que sejam interessantes, não só pelo seu sabor mas pela sua história e que surpreendam na relação qualidade/preço. São vinhos europeus cujas safras selecionadas são de exclusividade 4U.wine.

O que é um vinho rosé?

O vinho rosé por algum tempo não teve o mesmo respeito que os tintos e brancos. Ainda bem que, o últimos anos vem sido descoberto sendo mais popular na França do que o vinho branco. Apesar desse atual crescimento de popularidade, acredita-se que alguns dos primeiros vinhos produzidos eram, na verdade, rosados, com o primeiro rosé documentado datando de 7.000 aC.

Como se obtém a cor de um vinho rosé?

A cor de um vinho rosé é resultado do tempo em que as cascas de uvas tintas ficam em contato com o mosto (suco resultante do recém-esmagamento das uvas), algo entre duas a vinte horas. Após este período que será definido pelo enólogo a fim de obter o vinho ideal em termos de sabores e cor, as cascas são descartadas, em vez de deixadas em contato durante o todo o processo de fermentação. Quanto mais tempo as cascas ficam em contato com o mosto, mais intensa será a cor do vinho produzido. O rosé deve ter um sabor leve e frutado com baixo teor de taninos, o que o torna um excelente vinho de ponto de partida para novos apreciadores.

Vinho rosé é só para o verão?

Embora se possa saborear um copo de rosé em qualquer altura do ano, costumamos associar este tipo de vinho às épocas mais quentes. Isso se deve em parte à forma como o bebemos - resfriado - o que é muito agradável quando o tempo está quente, mas também porque o rosé combina muito bem com pratos leves de verão, como saladas, comidas asiática ou grelhados leves. Então se você gosta de apreciar estes tipos de pratos também em outras épocas do ano, deixar para apreciar um rosé só no verão não parece uma boa ideia! 

Como harmonizar com vinho rosé?

Os rosés são variados, desde o tom pêssego claro até o tinto rico e saboroso. O resultado é que os vinhos rosés são muito versáteis e podem complementar muitos tipos de pratos se você escolher bem. 

Rosés leves e secos como os da Provence prefira saladas e massas ou risotos leves, pratos com frutos do mar, mariscos crus e levemente cozidos, peixes grelhados, queijos de cabra. Rosés leves e não secos como outros rosés do Loire e portugueses com um toque de doçura como o tradicional Mateus Rosé também irão bem com os alimentos citados acima mas provavelmente melhor ainda com saladas do que com peixe cru e om pratos com curry. Rosés meio secos como os de Zinfandel branco ou o Sparkling (os chamados de blush), acompanham bem os pratos acima mas uma sugestão são comidas picantes e até como vinho de sobremesa com fruta, especialmente morangos.  

Rosés frutados encorpados como os de Syrah e Cabernet do Chile, Califórnia e Austrália pense mais no que combinará com um tinto encorpado do que de um rosé! Normalmente, o alto teor alcoólico (que desaparece porque não são tânicos e são servidos gelados), o que os tornam vinhos ideais para um churrasco e para beber com alimentos picantes, como pratos com curry. Também serão ótimos com pêssegos maduros!

Rosés secos de corpo médio como os do sul da França (Rhône e Languedoc) e os espanhóis de Rioja e Navarra, de estilo extremamente versátil, resistirão a sabores intensos como pratos com alho, anchova, azeitonas, açafrão e pimentão. Então vale degustar junto com uma tapenade ou salade Niçoise, paella ou frango grelhado, peixe ou cordeiro com ervas. Boas opções para churrascos e aperitivos como patês, terrines rústicas, charcutarias em geral e queijo de ovelha.

Espumantes rosé como a Cava, o australiano e neozelandês abrangem uma variedade de estilos de seco a médio seco. Os mais leves e secos são ideais para uma festa (Cava com com tapas), os mais doces podem ser servidos em um chá com bolos, muffins e tortas de frutas. O Champagne Rosé novamente há uma variação de estilo entre os mais leves e os mais encorpados. Estilos mais leves combinam com os canapés, saladas, massas ou risotos leves, pratos com frutos do mar, mariscos crus e levemente cozidos, peixes grelhados, queijos de cabra. Os Champagne rosé vintages, mais substanciais, acompanharão bem lagosta grelhada, cordeiro malpassado grelhado e assado ou caça como pombo, faisão ou perdiz.

Rosés elegantes e frutados como os de Bordeaux à base de Merlot ou os mais caros da Provence, uma dica é lembrar de um Pinot Noir. Deguste-os com frutos do mar como lagosta, salmão grelhado, atum e também pratos de pato, cordeiro malpassado delicadamente cozido. Irão bem também com queijos de casca branca como Camembert e Brie.

O nosso rosé Quinta da Giesta é um vinho de cor rosada e um aroma cativante de frutos vermelhos como o morango e a framboesa. Na boca há a confirmação desses frutos vermelhos, do frescor próprio da região do Dão.

Para Maria Emília Atallah, o diferencial deste vinho é poder participar desde o início até o final da refeição. Sozinho ele se basta, não precisa de comida! Um vinho para se apreciar dia e noite adentro, é versátil, para pratos coloridos de sabor mediterrâneo, como uma salada caprese com pesto e abobrinha, um gratin de aspargos com manjericão e bruschettas de queijo de cabra com compota de framboesas e pimenta rosa. Um paraíso para vegetarianos! Também perfeito e refrescante com um bom bobó de camarão com mandioquinha e lascas de coco ou um clássico steak tartar!

Comentários (0)

Deixe um comentário